Arquivos da Tag: Alberto Marques

Água.da.pocheira @Águeda.pt, por Alberto Marques (*)

A Assembleia da República emitiu há dias um parecer negativo a um projecto do PS que queria adoptar o consumo de água da torneira, acabando com a água mineral engarrafada. A bancada do PS queria instituir o consumo de água da torneira na Assembleia da República invocando a redução de resíduos. Mas o parecer aprovado

Presidenciais @Águeda.pt – Epílogo, por Alberto Marques (*)

Permitam-me que destaque alguns resultados das eleições do passado dia 23. Votação na Freguesia de Águeda: Cavaco Silva – 2.598, Manuel Alegre – 1.156 votos. Votação no concelho de Águeda: Cavaco Silva – 12.555 (61,2%), Manuel Alegre – 4.306 (21%). Abstendo-me de mais comentários, penso que estes resultados confirmam e clarificam a dimensão política de

Presidenciais@Águeda.pt , por Alberto Marques (*)

Falso, desleixado, incompetente, hipócrita, subserviente, calculista, sem pingo de sentido ético. Entre outros “mimos”, foi assim que, na semana passada, neste mesmo jornal, José Marques Vidal caracterizou o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva. Num artigo assinado pelo presidente do Partido Socialista de Águeda (afinal, demitiu-se, ou não?), o articulista arrasa o actual recandidato a

Orçamento.e.Plano@Águeda.pt, por Alberto Marques

Realiza-se hoje, na data de publicação desta edição do Região de Águeda, a última sessão deste ano da Assembleia Municipal de Águeda. Entre outros pontos agendados, destaco a discussão e votação das Opções do Plano e da Proposta de Orçamento para o ano de 2011. Nem vou alongar-me sobre o agendamento deste importantíssimo tema para

Passadeira.vermelha@Águeda.pt , por Alberto Marques

No meu imaginário, associo a “passadeira vermelha” a cerimónias protocolares ou eventos cheios de elegância e glamour, onde se pretende dar uma grande relevância aos ilustres convidados que por ela desfilarão. Retenho na memória inúmeros momentos marcantes, desde os habituais desfiles de vaidades nos Óscares de Hollywood, ou nos Emmys, até às recepções oficiais a

Fazer.o.que.ainda.não.foi.feito@Águeda.pt, por Alberto Marques

Ao circular pela baixa da cidade, perante os placares e as máquinas que laboram junto ao rio, vem-me à memória o título do mais recente sucesso de Pedro Abrunhosa – “Fazer o que ainda não foi feito”. A Câmara Municipal tomou a decisão de avançar com algumas obras “de regime”, potencialmente emblemáticas, mas cuja urgência

Top