Arquivos da Tag: crime

Tribunal de Aveiro

Levou 6 anos de prisão por tentar afogar mulher no rio Águeda

Levou 6 anos de prisão por tentar afogar mulher no rio Águeda

José Carvalho, o homem de 60 anos que, em abril, tentou afogar a mulher no rio, em Águeda, foi condenado, na tarde de quarta-feira, a seis anos de prisão, no Tribunal de Aveiro.

Incêndios trazem dor e luto, impotência e revolta, destruição e pobreza! Penalizam fortemente o meio ambiente e a qualidade de vida das populações. Estamos de luto e não publicamos fotografias avermelhadas pelas chamas que nos indignam. Apelamos a todos para que o façam. Se repudiamos que incêndios possam começar às 4 da manhã, digamos não ao espetáculo da destruição!

Detido suspeito de incêndios em Macinhata do Vouga

A PJ de Aveiro identificou e deteve um homem, trabalhador da construção civil, presumível autor de oito crimes de incêndio florestal. Os incêndios ocorreram em diferentes locais da freguesia de Macinhata do Vouga, desde o passado dia 11 de agosto até ao dia 12 do corrente mês, tendo posto em perigo uma extensa mancha florestal, bem

A apreensão realizada em Águeda

Águeda: Quatro detidos por tráfico de estupefacientes

Militares do Núcleo de Investigação Criminal de Águeda realizaram, na tarde de ontem, dia 9 de dezembro, uma operação policial no concelho de Águeda, no âmbito de uma investigação pela prática do crime de tráfico de estupefacientes – referiu a GNR, em comunicado. “A operação consistiu na realização de três buscas domiciliárias, que culminaram na

Valongo do Vouga: Assalto a residência seguida de explosão

A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro está a investigar um caso de suposto sequestro, roubo e explosão ocorrido a meio da madrugada na freguesia Valongo do Vouga, por uma única pessoa, em residência habitada por duas mulheres. Os Bombeiros Voluntários de Águeda ainda foram para o local com uma viatura de combate a incêndio mas

Moradores de Vale Domingos revoltados com falta de segurança

Os moradores do lugar de Vale Domingos, freguesia de Águeda, estão amedrontados e revoltados com a falta de segurança, que, segundo disseram ao RA, tem crescido “de forma assustadora”. “Tememos pela nossa segurança, porque há assaltos com violência física e ameaças constantes, já que não temos nada de valor que os assaltantes possam levar”, afirmaram

Top