Travassô | 800 anos da morte dos Santos Mártires

Santos Mártires de Marrocos: romaria acontece todos os anos em Travassô

A Irmandade dos Santos Mártires de Marrocos, associação de cariz religioso com sede na União das Freguesias de Travassô e Óis da Ribeira, celebra em 2020 os 800 anos da morte dos Mártires em Marrocos, venerados em Travassô há já vários séculos. O programa integra uma conferência com o padre Vítor Melícias

Enviados em missão evangelizadora para a Espanha árabe por Francisco de Assis, em 1219, estes cinco franciscanos italianos com os nomes de Vital, Berardo, Otão, Pedro, Acúrsio e Adjuto, viriam a ser decapitados em Marrocos, no dia 16 de Janeiro de 1220 a mandado do imperador de Marrocos, Mirambolim.
Os seus restos mortais, enviados para Portugal pelo infante D. Pedro, filho de D. Sancho, encontram-se desde sempre sepultados no Mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra.
Os Santos Mártires de Marrocos são lembrados através de uma festa única, pois o único local no Mundo onde são venerados anualmente, é em Travassô. Festividade de grande religiosidade popular, que chama elevadíssimo número de romeiros e turistas, vindos um pouco de todo o país.
As celebrações em 2020 terão início no dia 16 de janeiro, pelas 20h30, na Igreja Matriz, com eucaristia, seguida de procissão e inauguração do monumento alusivo aos 800 anos do martírio dos primeiros frades enviados em missão a Marrocos, por São Francisco de Assis.
No dia 17 de janeiro, realiza-se a conferência “800 anos dos Mártires de Marrocos” com a presença do padre Vítor Melícias, a iniciar-se pelas 21 horas, na sede da Orquestra Filarmónica 12 de Abril.
No dia 18 de janeiro (18 horas, Igreja Matriz” será celebrara uma eucaristia seguida da “Procissão do Nus”. Esta procissão secular tem como particularidade a presença da Sagrada Relíquia. Este elemento representa o busto-relicário em madeira de um franciscano, que ostenta no peito uma reentrância fechada por um vidro onde se encontra depositado um dos ossos de um dos mártires de Marrocos.
No dia 19 de janeiro – o dia principal da festa – decorrerá o ponto alto das celebrações, com uma segunda procissão solene, pelas 10 horas, seguindo-se uma eucaristia campal no adro da igreja de Travassô.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top