Um “Olá” formoso de Águeda no anúncio do novo “Solero”

Micaela Morgado no anúncio da Ola

A formosura da modelo de Águeda, na imagem em câmara lenta, a saborear um “Solero”, o novo gelado da Olá, é apelativo para o telespetador. Nunca, como neste seu sétimo anúncio televisivo, Micaela Morgado teve tantos segundos de antena. Participa ainda em mais outro anúncio, o Matinal Leve, o novo leite da Latogal. Para uma nutricionista de profissão – colaboradora do Região de Águeda -, “é um acaso” fazer representação em dois produtos alimentícios em simultâneo. “Calhou bem serem dois produtos light”, diz em tom de brincadeira

“Este é o anúncio em que tenho mais segundos de antena”. Micaela Morgado contracena com Eduardo Breda, um ator profissional, no anúncio do novo gelado da Olá. As gravações decorreram no Porto, duraram dois dias “intensos”, entre as 6 horas da manhã e “até não haver luz do dia”. Envolveu uma equipa de três dezenas de profissionais.
O procedimento foi igual a todos os trabalhos. “Através de agências vamos a castings e ganhamos ou não trabalhos”, refere Micaela Morgado. “Precisamos de ir a muitos para ganhar alguns”. Por isso, não é tão fácil como parece. Quando a seleção tem como objetivo um trabalho de vídeo, a fotografia só não chega. “Acting” é o estrangeirismo que corre no meio, significando atuação, execução, performance, desempenho… E lá vem o casting.

“PENSEI QUE ESTAVA ARRUMADA”

Em junho foi ao casting que decorreu no Porto. Viu as candidatas que consigo procuravam ser a eleita. “Pensei que estava arrumada!” Mas não… Contou: “No casting é super constrangedor comer um gelado e estar a ser filmado”. Aconteceu a algumas candidatas mas não consigo.
“Temos que nos abstrair de que estamos a ser gravados e imaginar que estamos no nosso dia-a-dia. Quando estamos a saborear um gelado não estamos a pensar que alguém está a olhar para nós”. Micaela Morgado foi a escolhida.
A cena em que surge no ecrã foi “gravada aí umas 20 vezes”. O sucesso do anúncio, filmado em três locais do Porto, “tem a ver com imensas coisas, por isso a equipa era tão vasta”. Ademais, “não é uma cena contínua”, tal como pode fazer crer no que é apresentado ao telespetador. E lá teve Micaela Morgado de trincar várias vezes o Solero…

Micaela Morgado

Micaela Morgado

Terão os dias mais de 24 horas para Micaela?

MICAELA MORGADO tem 25 anos. É natural de Espinhel, onde reside. O seu percurso académico decorreu em nove escolas, entre as quais o IDL – Instituto Duarte Lemos – e as secundárias Adolfo Portela e Marques de Castilho. Licenciou-se em Dietética e Nutrição pela Escola Superior de Tecnologias da Saúde de Coimbra e concluiu o mestrado em Nutrição Clínica pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.
Vai agora doutorar-se em Exercício e Saúde pela Faculdade de Ciências do Desporto da Universidade do Porto, com aulas no primeiro ano e trabalho de investigação nos segundo e terceiro anos. Micaela Morgado justifica a escolha em exercício e saúde “porque, dentro da nutrição, prefiro a nutrição desportiva”.

A NUTRICIONISTA

Desenvolve a atividade de nutricionista em duas clínicas da região e escreve na rubrica “Saúde 3” no Região de Águeda. “Existe hoje uma maior preocupação por parte de pessoas de todas as faixas etárias mas sinto que falta empenho e disciplina”, considera Micaela Morgado, para quem muitas delas “querem um milagre” e perguntam mesmo se não há suplementos. “A maior parte é consultada por ter excesso de peso mas não exercemos nutricionismo só nessa área”, adverte entretanto.
O gosto pela nutrição no desporto justifica-se pelo “empenho e disciplina” dos desportistas que “sabem o que querem, que querem ganhar e sabem que a diferença entre ganhar e perder depende de muitos fatores e comportamentos, inclusivamente na alimentação”. Micaela Morgado fala de desportistas com um nível de exigência pessoal que comporta elevado grau de compromisso, alguns dos quais acompanha proximamente e até são recebidos em consultas que decorrem em sua casa.
De 2014 a 2016, trabalhou como nutricionista na Federação Portuguesa de Canoagem, nomeadamente, na preparação dos atletas para o ciclo Olímpico Rio 2016.

A MODELO

A carreira de Micaela Morgado como modelo vai fazer 10 anos. “Fui acompanhar uma amiga a um concurso de moda que decorreu no Glicínias e acabei por ficar”. Em 2008, tinha 16 anos.
“Gosto bastante, tanto na fotografia como no vídeo somos atores. Representamos uma história. As marcas querem transmitir ideologias e atingir um público-alvo”. Micaela Morgado sublinha mesmo essa representação difere daquilo que é. “Às vezes temos de vestir roupa com a qual não nos identificamos e temos que interiorizar a personagem, indo ao encontro de determinados sentimentos que as marcas querem transmitir. Algo mais sóbrio, ou mais divertido e alegre…”
Esta “vertente artística” revelou-se “desde muito cedo”. Conta que entrou para o ballet aos 3 ou 4 anos “por iniciativa própria”. Dançou até aos 12 anos. “Já adorava estar no palco, não era daquelas meninas que choravam antes de entrar”. Chegou a protagonizar uma peça de ballet aos 11 anos, fazendo de Cleópatra, exibida em Águeda.
Micaela Morgado toca violino e piano mas “queria tocar harpa”, que só havia no Porto. Tem o quinto grau do conservatório, fruto do ensino ministrado nos conservatórios de música de Águeda e de Aveiro e ainda na Escola de Artes da Bairrada.

A EMPRESÁRIA

Micaela Morgado tem hoje a própria empresa de agenciamento de modelos – a Models Factory – e a sapataria Calçada Portuguesa, no edifício Oita, em Aveiro. A primeira tem três anos, a segunda seis meses.
A agência de modelos correspondeu a um desafio lançado por um amigo, hoje seu sócio, após ter sido eleita Miss European portuguesa e a segunda classificada a nível europeu, num concurso realizado em Malta em 2013. “Temos cerca de 300 agenciados, desde bebés e idosos. Estamos focados na vertente comercial e há produtos para todas as idades. Mas a agência não promete trabalho a ninguém, nem vende books ou cursos. Ninguém tem que pagar para ser modelo! Fazemos recrutamento através do nosso site e através de castings; as pessoas que se inscrevem são avaliadas pelas fotos, pela composição corporal e outras aptidões que possuam. Desta forma escolhemos quem queremos representar”.
Os agenciados podem concorrer a castings. “Os realizadores procuram muito pessoas reais para anúncios, não querem só caras bonitas, e que tenham acting”, refere Micaela Morgado, para quem “há muito mercado mas também muita gente, e muitas agências também”. Para já fala em “crescimento gradual e sustentado” da agência.
A sapataria corresponde a “uma segunda área de negócio” da empresa. “Só vendemos calçado português”. Ela e o sócio pretendiam “algo dentro da moda” e avançaram com algo num sector que “está a crescer, a ser reconhecido e muito valorizado no mundo, e que é produzido também no nosso distrito”.

AUGUSTO SEMEDO
(leia trabalho completo na edição da semana – versões e-paper e impressa – de 30 de agosto)
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top