Veneporte inaugura investimento de 1,2 milhões

Funcionários com 25 ou mais anos de serviço foram homenageados na Veneporte

A Veneporte fez coincidir a comemoração dos 53 anos da empresa com a inauguração das instalações no Vale Grande e a homenagem aos funcionários com 25 e mais anos de colaboração. O investimento realizado rondou um milhão e 250 mil euros, tendo sido renovada toda a área técnica, administrativa, comercial e social da empresa

Reunindo colaboradores, clientes e amigos, a Veneporte proporcionou uma visita às suas instalações e um almoço, com atuações da Fanfarra Kaustika e de André Sardet, que finalizou o dia festivo.
Abílio Cardoso, presidente do conselho de administração, aproveitou “o momento significativo” de sábado para historiar as diversas etapas da empresa e para apontar os desafios do futuro. Num discurso por vezes emocionado, lembrou o fundador nos anos 60 – Franklim Neves, ex-emigrante na Venezuela – e o impacto que a adesão de Portugal à comunidade europeia (então CEE), em meados da década de 80, teve na Veneporte. “Não foi uma oportunidade” para a empresa, que seria vendida em dezembro de 1991.
Abílio Cardoso era um jovem licenciado em economia quando a Veneporte enfrentava, com uma nova administração de seis empresários, “inúmeros problemas de estratégia e organização” e era “fortemente deficitária”. “Vivemos momentos muito difíceis, noites muito mal dormidas para fazer face salários e outros compromissos”, recordou o empresário, que começou então como gerente financeiro e administrativo, acumulando depois outras funções de gestão.

GRANDE TRANSFORMAÇÃO E NOVOS RISCOS

A recuperação da empresa obrigou a “uma grande transformação”, sublinhando o “desafio permanente e muito difícil” e a “dedicação a este projeto”, com o “contributo dos trabalhadores”. “Assumimos muitos riscos, trabalhamos arduamente para tentar minimizar, e com ponderação fomos resolvendo”, afirmou, para valorizar o papel do pai, Abílio Abrantes Cardoso, colaboradores e clientes. “São estes a nossa razão de ser, de existir e de estar”.
Para Abílio Cardoso, a Veneporte acredita que é hoje “uma empresa mais estruturada, com mais conhecimento, mais inovadora, mais tecnológica, mas, acima de tudo, com muito mais competências incorporadas”. Apontou, contudo, “o risco da mobilidade elétrica e de outras soluções” no futuro, “embora pensemos que são alternativas que seguirão o seu curso no tempo e nos permitirão pensar sobre nosso futuro com alguma reflexão”.
Deixou garantias: “Estamos atentos (…) nos próximos tempos, a Veneporte dedicar-se-á a otimizar sua organização, melhorar a eficiência da produção e aumentar a eficácia comercial, a estudar novas oportunidades, não apenas nesta área de negócios, mas também em outras que certamente serão incorporadas. Juntamente com nossos funcionários, faremos de tudo para tornar a Veneporte uma realidade comercial ainda mais forte”.

COLABORADORES HOMENAGEADOS

Tornando visível a fotografia de rosto de cada um no momento da entrada na empresa e na atualidade, a Veneporte homenageou os funcionários mais antigos, incluindo o próprio Abílio Cardoso, presidente do conselho de administração, que leva 28 anos de serviço.
Manuel Antunes (entrou em 1978) acumula 41 anos de serviço e é o funcionário mais antigo, tendo sido fortemente ovacionado pelos presentes no almoço. Seguem-se José Silva (38 anos de serviço), Armindo Reis (35 anos), Paulo Duarte (33), João António Marques (32), Leonor Ferreira (31), Agostinho Martins (30), Abílio Cardoso e Edite Almeida (28), Ana Abrantes e Paulo Carreiro (27), Dino Santos (26), Fernando Martins, Maria Moreira, António Nunes e Manuela Alves (25 anos).

(informação completa na edição da semana de 25 de setembro de 2019 – versões e-paper e impressa)
Foto de cima: Funcionários com 25 ou mais anos de serviço foram homenageados na Veneporte
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top